O Mercado: E aí, comeu?

Nós não. Mas fomos, claro. Pretendíamos chegar mais cedo, por volta de 23h, para tentar pegar a fila no início, já que as portas de O Mercado seriam abertas à meia-noite. A ideia era para amenizar um problema que todos já sabiam que ocorreria, inclusive os próprios organizadores: a previsão inicial de 500 pessoas seria batida com facilidade. Infelizmente, tivemos um compromisso antes e chegamos quando os portões foram abertos e já havia cerca de 2 mil pessoas numa fila interminável. Isso porque a entrada no espaço foi controlada por seguranças, que fechavam o portão a fim de evitar que a lotação máxima fosse atingida. A medida funcionou no sentido de fazer com que o evento ocorresse sem problemas, mas deixou muita gente de fora. Como nós.

Na foto acima, nossa chegada ao meio da fila. Fomos andando paralelamente às pessoas que já esperavam a horas e aproveitavam para matar a sede na Frutaria Paulista – que não foi a única a faturar com o evento. Tinha gente indo (como nós) e vindo (do time dos que já haviam desistido), carros emparelhados com a filona e muitas pessoas aglomeradas na Praça que tem quase em frente e também em rodinhas de papo próximo à entrada.

Conversamos rapidamente com algumas pessoas da fila e um casal – que estava a poucos passos da entrada – disse que chegou às 22h30 para conseguir chegar tão perto do portão duas horas depois. Segundo eles, a aglomeração já passava dos limites da Frutaria quando eles chegaram, ou seja, vai saber que horas as primeiras pessoas chegaram?! O pipoqueiro Luan é que se deu bem: de acordo com o vendedor, em sete anos trabalhando na região ele nunca viu algo assim nas redondezas. “Parece entrada de show de rock”, brincou, para depois perguntar porque afinal tinha tanta gente lá. Espantado com a iniciativa da feira gastronômica, ele parece estar bem feliz de tantas pessoas famintas estarem por ali. Tanto que a pipoca pequena passou a custar R$ 5 e a grande, R$ 8 (lei da oferta e da procura, claro).

Acabamos nossa noite na Galeria dos Pães com a certeza de que se a feira tinha a intenção de movimentar a noite paulistana, o objetivo foi alcançado. Quem não conseguiu entrar, acabou fugindo para as padarias, as cafeterias, as hamburguerias e as biroscas próximas a fim de matar quem os estava matando – a fome. Com isso, as pessoas que não sabem onde ir na madruga puderam acompanhar pelo Foursquare onde os coleguinhas foram se refugiar da garoa fina que insistiu em cair logo após a virada do domingo. Uma funcionária da Galeria dos Pães, por exemplo, que nem é tão próxima do local, disse que eles não esperavam tanto movimento e que a casa sempre fica cheia aos sábados, mas que a lotação estava maior naquela noite.

Que venham outros “O Mercado”, em lugares maiores, para que possamos escrever sobre as comidinhas gourmet no próximo post 😉 Para quem quiser saber se o evento foi bom, o Lorençato contou em seu blog. E não esqueçam: também vai ter evento gourmet na Virada Cultural! \o/

7 Comentários

  1. Silvia Guimarães
    abril 23, 2012 at 8:23 am (10 anos ago)

    Que tal fazer o próximo “Mercado” Gastronômico na frente do Estádio do Pacaembu? Convidar as barracas de pastel de feira ou mais chefs seria uma ótima alternativa também, São Paulo tem público muito grande, exigente e afoito por comidinhas gostosas…. e muitos turistas loucos por nossa comida também! Portanto, vamos arregaçar as mangas para o próximo evento!!!! Eu fiquei louca para ir neste, mas nem me atrevi, pois imaginei a loucura…. Mas, com certeza, irei no próximo!!!!!!!!!

  2. maria cecília
    abril 23, 2012 at 1:50 pm (10 anos ago)

    Eu cheguei às 22h45 e a fila estava quase na Frutaria Paulista, mas ainda não a tinha alcançado. O evento valeu a pena pra quem conseguiu entrar!

  3. Manuela Costa
    abril 23, 2012 at 5:10 pm (10 anos ago)

    Cheguei cedo e consegui entrar. O evento pode não ter comportado a quantidade de pessoas, mas foi espetacular para quem entrou! Para mim as arepas e os hamburgueres estavam sensacionais (uma pena que nenhum deste dois chefs reproduzam tal receita ao público). Aguardo a próxima edição e também espero que o local seja modificado, pois a demanda foi tão grande que eu que não demorei para entrar não consegui comer o tão aclamado ceviche.
    Adorei o blog de vocês e estou sempre acompanhando. Parabéns!

  4. Rodrigo Mendoza
    abril 23, 2012 at 11:57 pm (10 anos ago)

    Horrivel a organização.

  5. Paulo Rodrigues
    abril 26, 2012 at 10:55 pm (10 anos ago)

    Poxa que pena que vocês não conseguiram entrar, sempre o primeiro evento é complicado mesmo, espero que eles vejam o quanto o pessoal é carente desse tipo de evento e repitam mais vezes… Mas valeu por terem tentado Isabelle…

    Eu as vezes assisto aquele Eat Street na Fox Life e fico pensando porque não temos isso aqui em São Paulo, com certeza teria um público muito grande, é só ver a quantidade de gente no evento O Mercado…

  6. Isabelle Lindote
    abril 27, 2012 at 3:23 am (10 anos ago)

    Verdade, Paulo, a primeira edição de uma iniciativa assim é sempre difícil de ser feito sem erros. Mas, como parece que teremos mais eventos assim, ficará mais fácil de avaliar. Valeu a tentativa 😉

  7. Jujinha
    abril 28, 2012 at 3:18 am (10 anos ago)

    Comigo aconteceu semelhante: cheguei às 4:30h mas já não havia mais comida e os portões estavam fechados. Fiquei um pouco chateada, afinal o evento deveria ir até o horário de término divulgado: 5h.
    Acabei indo à Galeria dos Pães tb (acho que todos os frustrados foram para lá)!
    Agora estou na esperança de conseguir alguma coisa neste evento aqui: http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos%20paladar,bancas-de-comida-de-chef-vao-ocupar-o-minhocao,4933,0.htm
    Não sei se vcs já tinham conhecimento. É minha primeira visita ao blog! Estou gostando dos posts!
    Beijus

Deixe um comentário