SPRW: Oryza

Há três anos, quando fui, pela primeira vez, a restaurantes do São Paulo Restaurant Week, o evento trazia poucos lugares com almoço a 25 reais e jantar a 39 reais. De lá para cá algumas coisas mudaram. A lista de participantes na nona edição passou de 200 participantes, ganhou mais uma semana com a desculpa do cartão Black e Platinum e não é realizado apenas em São Paulo. Infelizmente, parece que a organização do evento tem pouca preocupação em manter apenas bons restaurantes. Quando eu digo bons, me refiro a restaurantes com alguma comida diferenciada, com espaço para acomodar com conforto os interessados, além daqueles que se preocupam, no mínimo, com a apresentação dos pratos. Na última edição tive a péssima ideia de conhecer a Cantina Brasiliani, na Vila Romana.

Agora, quando vou selecionar os restaurantes que vou do São Paulo Restaurant Week, pesquiso, pesquiso bastante. Leio em blogs, revistas e pergunto para amigos antes de fazer a reserva. Não é barato ir a vários locais ao longo de 15 dias. Mas, para nós, ir a alguns restaurantes é o mesmo que ter um blog de moda e não ir a uma São Paulo Fashion Week e passear pelos corredores da Bienal, em São Paulo. Foi assim que selecionei o restaurante Oryza, que visitei no último final de semana para um almoço com o namorado.

É difícil passar pela rua Mato Grosso e não reparar no pequeno sobrado vermelho, anteriormente ocupado pelo AK Delicatessen – da Andrea Kaufman. No interior do restaurante, a cor chamativa é trocada pelas paredes brancas com alguns grafites do Rafael Finok.

O Oryza, que significa arroz em latim, é a estrela do cardápio do restaurante e está presente no couvert (fatias de pão de arroz  acompanhado de uma porção pequena de manteiga queimada com flor de sal), nas porções de entrada (falam muito bem do bolinho de risoto), nos pratos (óbvio!) e até mesmo nas bebidas (saquê).

O almoço começou com o couvert: pão de arroz e manteiga queimada com flor de sal (R$ 5,50). Um garçom simpático veio até a mesa e deixou apenas uma fatia para cada um na mesa. Pintou a dúvida: será que o couvert é uma fatia de pão apenas? Não, não era. Logo que a primeira fatia foi devorada o simpático garçom retornou para perguntar se queríamos mais.

De entrada pedimos o Ovo mole com espuma de batata e pó de linguiça. Confesso que apesar de gostar de ovo fiquei com vontade de provar os bolinhos de risoto de arroz, a outra opção do menu para o São Paulo Restaurant Week.

Dica: não coma toda a espuma com o pó antes, misture com a gema para dar uma temperada. No final, sem o pó, parecia que eu estava comendo a gema crua sem tempero.

No menu fixo da casa o Ovo mole custa 14 reais.

De prato principal pedi o Riso al salto (arborio), rabada desfiada, purê e broto de agrião, que custa 28 reais a porção média e 40 reais a inteira. Delicioso! Tanto a carne quanto o arroz estavam harmoniosos. A rabada tinha molho na medida certa, além de bem temperada. O arroz, talvez, pudesse ter um pouco mais de tempero, de ervas. Enfim, não sobrou um grão para contar história.

O namorado preferiu o Risoto de beterraba (24 reais a meia e 34 reais a porção inteira no menu fixo), uma porção generosa se comparada ao meu pedido. Mas, independente do tamanho, os dois ficaram satisfeitos.

Se quiser fazer em casa o Risoto de beterraba e aprender outras receitas de restaurantes que participam da nona edição do São Paulo Restaurant Week, dê uma olha no Terra, que tem entre as receitas selecionadas, o risoto delicioso do Oryza. Veja a receita abaixo:

Ingredientes:
150 g de beterraba
500 g de arroz carnolli
100 g de cebola picada
200 ml de vinho branco seco
15 g de manteiga
850 ml de caldo de frango (ou de vegetais para uma versão vegetariana)
150 g de manteiga sem sal (para finalização)
10 g de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
Purê de beterraba: Cozinhe as beterrabas descascadas e temperadas com sal e pimenta em sous vide, a 90°C, por 75 minutos ou asse no forno embrulhadas no papel alumínio a 180°C até ficarem macias. Processe as beterrabas para obter um purê liso.

Para o risoto: Sue a cebola na manteiga e adicione arroz. Puxe até que os grãos fiquem translúcidos, adicione o vinho branco, mexa até secar e adicione caldo de frango. Mexa sempre, até o grão ficar al dente. Finalize adicionando o risoto com purê de beterraba, coloque a manteiga e o queijo ralado.

Fechamos o almoço com a Panna Cotta de sucrilhos com calda de Nutella (R$ 15 no menu fixo).

A sobremesa ficou longe de ser o ponto alto da refeição, talvez porque numa casa cujo carro-chefe é o arroz, resolvi trocar o famoso arroz doce pela simples panna cotta…

Se não fosse pelo valor fechado de R$ 31,90 o almoço no São Paulo Restaurant Week,  gastaria 69 reais com a entrada, prato principal e sobremesa sem as bebidas nem o couvert. A cerveja Stella custou 8 reais, o suco de limão saiu por 5 reais e por uma taça de saquê é cobrado 10 reais.

Total: R$ 115,28 com os 10% de serviço e duas pessoas felizes com o bom atendimento e de barriga cheia.

Oryza
Rua Mato Grosso, 450, Higienópolis, São Paulo
Telefone: 11 3151-4463

8 Comentários

  1. katarina
    setembro 9, 2011 at 8:43 am (11 anos ago)

    Gente, eu não acredito no que eu li sobre este restaurante. Fui ao mesmo há dois meses, fora do SPRW e levei amigos do Recife que estão acostumados a comida boa e farta a preços justos.O resultado foi uma decepção. As porções inteiras de “risoto” são ridículas e o que falar das “meia” porção. Comi exatamente a rabada e a meia porção representa cerca de 100 gramas. Acredita? O sabor era bom, mas acho indecente um restaurante servir um porção inteira de risoto de cerca de 250 gramas. Resultado: após o jantar fomos ao Athenas da Augusta completar a refeição. Então se você não estiver tentando entrar em uma calça número 34 não vá!

  2. Claudia Midori
    setembro 11, 2011 at 4:09 am (11 anos ago)

    Oi Katarina, fui avisada pela garçonete sobre a meia porção, menor que o prato de sobremesa. A rabada com o risoto é um prato pequeno, mas com entrada e sobremesa saí satisfeita. Como eu disse no post, acho que só vale a visita em ocasiões como o SPRW porque a comida não é barata, nada é barato no Oryza.

  3. Francisco
    setembro 11, 2011 at 10:18 pm (11 anos ago)

    O oryza nao cobra agua, couvert de pao caseiro e manteiga especial por 5 reais, a carta de vinhos excelente é a mais barata de SP e oferece opções de 125, 240 ou 500 ml, a entrada mais cara é 16 reais, tem pratos por menos d 30 reais. Comi muito bem por 75 reias…Pra nivel de restaurante que é, acho o preço bem bom. Ou seja, o oryza é um otimo custo beneficio. Vcs comparam os preços de lá com quais restaurantes? mcDonald’s? Os arrozes podem funcionar como um primo piatto(porçnoes em meia porçnao) pra vc comer um peixe ou carne logo depois…ou direto pra sobremesa…

  4. Claudia Midori
    setembro 11, 2011 at 11:24 pm (11 anos ago)

    Francisco, vários restaurante de São Paulo não cobram a água. O couvert de 5,50 realmente é barato pela qualidade do pão e da manteiga com flor de sal. Não estou comparando o preço com o McDonald´s, apenas acho que a porção de risoto com rabada é muito cara, 40 reais. Se você gastou 75 e comeu bem, deve ter pedido um risoto, couvert e uma bebida, sem entrada, senão teria gasto mais ou ficou bebendo a água, que é de graça, e pediu a entrada de 16 reais.

  5. Francisco
    setembro 12, 2011 at 2:04 am (11 anos ago)

    Oi Claudia….o garçom, me explicou que o riso al salto é feito com arroz arborio e carnaroli, ambos italianos, puree de agriao organico, brotos organicos e toda a carne desfiada com cuidado…ou seja…tudo tem seu preço. Não é apenas uma rabada no osso, feita na panela de pressao, sem sabor, feita com um arroz ou polenta qualquer e um chumaço de arginao em cima….Pense bem….Olha, sou homem e adoro comer e achei a porção perfeita. Mas ok, gosto e opiniões sempre são e serão diferentes. Que bom! Abraço e obrigado pelo blog…Chico

    P.S.: Ao contrario que vc disse, são pouquissimos restaurantes que oferecem agua gratuitamente (Le jazz, Epice, Frontera, e mais unszinhos) e, alguns que oferecem, tem preços bem salgados pra compensar….

  6. katarina
    outubro 1, 2011 at 9:10 pm (11 anos ago)

    Francisco, que bom que vc comeu com R$ 75,00. Acho que vc deve ter 25 quilos e mora na Somália. Estávamos em 4 pessoas e gastamos R$ 100,00 cada uma para sair com fome. O parto inteiro tem 200 g e a meia porção 110 a 120 g.Eu tenho 1,60 e peso 51 kilos. Não consigo comer meio sanduba da bela paulista e consegui sair morrendo de fome do Oryza. Mas se alguém quiser ir lá, vá. Não esqueça depois de dar uma passada no Athenas para comer uma porção de file com fritas para não voltar para casa com muita fome. Quanto a carta de vilhos: vinho que vc toma na Argentana por 10 pesos como o La Linda, por R$65,00 não é nada justo!

2Pingbacks & Trackbacks on SPRW: Oryza

  1. […] 7 restaurantes da 9ª edição do São Paulo Resturant Week, todos comentados aqui: El Patio, Oryza, Dui, Vinheria Percussi, Paellas Pepe, Amaranto e faltou o Bistrô Crepe de […]

  2. […] quanto no jantar, com a proposta de usar técnicas apuradas sem cobrar uma fortuna dos comensais. O restaurante já foi resenhado aqui pela Cláudia, que conferiu o cardápio do Restaurant Week – evento com o qual estamos bem […]

Deixe um comentário