Anjos da Madrugada: Aventura Surpreendente

Olá, pessoal! O post de hoje é para contar uma aventura gastronômica um pouco diferente. No último dia 11 para o 12 de outubro participei de uma ação dos Anjos da Madrugada! Fiz algo que queria há algum tempo: um voluntariado para distribuir aos moradores de rua marmitas e doações.

Todo mundo tem uma vida corrida, problemas e falta de tempo. Mas, andei me questionando há algum tempo de escolhas e onde poderia focar minha energia, de maneira positiva e produtiva. Por que não um voluntariado?

Em uma conversa com um amigo, ele me indicou o Anjos da Madrugada e me passou o contato da Diih. O projeto tem 1 ano e seis meses, atua mensalmente e conta com cerca de 70 pessoas. Topei na hora! Foi meio maluco pois estou super corrida e virada desde semana passada, além de uma gripe chatinha. Mas arrisquei mesmo assim. Tomei o telefone e entrei nessa. A gente sempre tem um tempinho sim 😉

Na segunda, dia 10, o pessoal estava com a mão na massa. Acompanhei pelo Facebook mas, infelizmente, não pude ajudar e acompanhar o processo. No total foram produzidos 340 marmitas com arroz, strogonoff, batata palha e feijão. Para sobremesa, 420 mousses de chocolate e para beber 240 sucos e 240 águas. Além dos saquinhos de doces para as crianças e doações de roupas, sapatos e brinquedos. Foi admirável ver a força e dedicação do pessoal!

14680500_1146530498746721_2584653175853076055_n

Olha o tamanho das panelas de strogonoff! Foto: Anjos da Madrugada

14707014_1146532232079881_2114290373683574975_o

Diih e as meninas super do bem! Foto: Anjos da Madrugada

14567581_1144975732235531_5684318966794610571_o

Mousses: capricho e riqueza de detalhes, muito carinho envolvido! Foto: Anjos da Madrugada

O Anjos da Madrugada atua na própria casa da Diih e, com muita hospitalidade, me recebeu de braços abertos. Fui totalmente acolhida e fiquei muito contente pela empatia da turma. Muitas pessoas de diversas classes, credos mas com apenas um objetivo: fazer o bem!

Minha primeira surpresa foi ver a generosidade da Diih em oferecer seu espaço para receber uma desconhecida. Fiquei impressionada com a quantidade da produção para alguns braços. A mulherada estava com força total, e mais surpreendida ainda quando um caminhão chegou para nos ajudar no carregamento.

Partimos do Taboão da Serra por volta das 22h e a ação focou de início na Praça da Sé. Estacionamos todos próximos da Universidade São Francisco – Direito USP, no centro de São Paulo, e seguimos todos juntos, com a facilidade de nos identificarmos pela camiseta branca e logotipo do projeto.

Passamos pelo escadão da Catedral da Sé e depois no Pátio do Colégio, nos mantivermos juntos em todo o percurso e nos segmentamos por algumas turmas, uns com sacolas de roupas, devidamente separadas por tipo: masculinas, femininas, infantil masculino e feminino. Brinquedos em outros pacotes, bebidas, marmitas, doces, e assim por diante.

Como funciona a distribuição e abordagem aos moradores de rua

Muitos moradores nos abordam, portanto, esqueça as filas. Você pode até oferecer, dê o que te pedem, respeite se disserem não e caso não tenha, indique e pergunte ao amigo.

Pátio do Colégio. Foto: Anjos da Madrugada

Concentração no Pátio do Colégio. Foto: Anjos da Madrugada

Veja algumas dicas ao abordar alguém na rua:

  • Jamais demonstre medo, somos todos iguais (sei que isso parece banal, mas já vi nossa bolha social fazendo isso, o que é segregação! Uma coisa é uma pessoa ter ataque de esquizofrenia ao seu lado, outra é o morador de rua estar na dele);
  • A palavra “mendigo” ou “viciado” são pejorativas, ok? Sensibilidade, por favor;
  • Quando distribuir algo em locais de muita concentração de moradores, mantenha-se em grupo, especialmente neste caso: de madrugada;
  • Nunca negue neste tipo de ação quantidade: dê a eles o que pedem. Não se deve dizer não, pois não sabemos como podem reagir. Se não tiver, sem problemas, indique o colega. Seja gentil, peça desculpas por não ter e peça para procurar em outra sacola;
  • E sempre, o mais importante de tudo, trate a pessoa pelo nome. Pergunte, converse, fale do dia a dia dele. O foco é o morador. A experiência é muito enriquecedora! E às vezes, a carência é apenas companhia, afinal somos seres humanos e seres sociais;
  • Muitas crianças podem grudar em você e serem insistentes. Tive isso com um menininho que queria tudo de minha sacola. Fale com ele que já pegou o suficiente, e mostre a ele que pegou o que já desejava. Fale que ele vai dividir com os amiguinhos.

Existe uma fala muito comum: vou levar para alguém. Também não se deve negar. Já a criançada, replica sem pensar. Achei muito engraçadinho um menino de 5 anos dizer que o filho dele precisava de roupinhas. Pondere para crianças, afinal, para quem não tem nada, a fartura de uma sacola inteira impressiona. Tenha empatia e bom senso. 🙂

Mas, é perigoso? Tenho medo!

Vá de coração e mente aberta. Para quem nunca foi, posso afirmar que é uma das melhores satisfações que você pode ter em vida. Eu, particularmente, penso: vim ao mundo com algum propósito e não estou de passagem. Me sinto feliz, e minha sensação de “roubo muito ar do mundo” passa por alguns instantes.

14711149_1146546502078454_6203398359391344464_o

Ver crianças tendo alguns momentos de alegria: gratificante! Foto: Anjos da Madrugada

Garanto que será ótimo para sair da nossa bolha social, encarar a realidade, ter mais empatia e gratidão pelos privilégios que temos. E posso garantir, pessoas com menos privilégios que eu, fazem muito mais por aí. É uma lição de vida, definitivamente.

A união faz a força, e tendo organização e foco no objetivo, não dá medo não. Deixamos nossos pertences nos carros bem guardados e escondidos, caso seja sua dúvida. Levei o celular para fazer ao vivo no Facebook do Aventuras Gastronômicas e não tive problema algum. Só ficar ligeiro como já ficamos todos os dias! 😉

Conclusões

Estamos acostumados a reclamar de nossa vida pessoal. Mas, será que podemos por algum tempo olhar ao nosso redor? Pausar, refletir e perceber as nossas regalias, por exemplo, poder comer fora, ler, ler este blog, entre tantos outros!

Ninguém sabe a história dessas pessoas e o porquê estão nessas condições sociais. Falar e achar que essas pessoas são acomodadas é muito raso, compreendem? Tudo tem um porquê, tudo tem sua exceção. Muitas vezes, não há saída ou escolha, é aquilo e ponto. Especialmente crianças, imagine como é crescer num meio sem estrutura alguma? Já se colocou no lugar?

Poderia escrever mais, mas resumidamente é essa a conclusão. Vamos ajudar! 😀

Contato Anjos da Madrugada

Facebook: http://www.facebook.com/anjosmadrugada.sp
Instagram: @anjos_madrugada  www.instagram.com/anjos_madrugada/
WhatsApp: (11) 95902 – 8922
Concentração: Taboão da Serra/SP
Ações em São Paulo/ SP

 

Eggs Comfort Food

O ovo não é coadjuvante no Eggs Comfort Food em Pinheiros, e sim o protagonista! Ideia interessante e criativa em homenagear esse alimento tão rico, tanto para a culinária como também para a saúde!

Na culinária, o ovo auxilia em receitas, seja para engrossar, aerar ou emulsificar. Serve para o doce e o salgado. Gera liga e é o ingrediente ideal quando se necessita de óleo e água, pois em sua composição une ambos – algo difícil pois como aprendemos na escola, afinal, água e óleo, não se misturam.

Na saúde, depois do leite materno, o ovo é o alimento mais completo para o humano. Possui Vitamina D, Complexo B, Albumina – responsável pelo ganho de massa muscular e a Colina que é responsável na membrana celular pelos impulsos nervosos. Ou seja, o ovo é glorificado de pé neste endereço e com muita razão!

O ambiente condiz muito com a temática. Um pequeno salão, mas não ao ponto de ser um ovo, tem cadeiras Charles Eames Wood branquinhas e decor com um toque amarelinho, muito simpático e acolhedor. Ideal para uma saída com amigos ou almoço rápido na região de Pinheiros. Casual, despretensioso e bem agradável.

Sobre a experiência, fui com um amigo que já frequentava o local. Ele me deu a dica do picadinho da casa, o típico prato brasileiro: arroz, farofa e banana frita. Ele, por ser fanático por ovo, foi de risoto de gema.

risoto de gema

Risoto de Gema com muito parmesão: tem uma gema crua ao centro

Picadinho

Picadinho

O picadinho estava simples e saboroso. Mesmo com uma banana frita, arroz branco e farofa temperada, o prato foi simples e sincero.

Depois, experimentei, como sempre, a clássica garfada roubada: a overdose de ovo em risoto. Sinceramente? Não gosto muito de risoto (desculpe, italianos, mas é gosto pessoal mesmo). Especialmente, com ovo! Achei a papinha mais empapada com ovo – no pleonasmo mesmo. Para mim, era uma massaroca, com o perdão da palavra. Meu amigo mandou ver no prato, mas, gosto é gosto. Para quem ama ovo deve ser um prato cheio mesmo!

Para quem tem curiosidade, veja algumas fotos do cardápio do Eggs Comfort Food, é só clicar na imagem para visualizar melhor!

eggs comfort food

eggs comfort food-menu

eggs comfort food-pinheiros

Pretendo experimentar o bolovo e certamente os ovos benedict, pratos esses que posso focar no ovo em si. E vocês, já experimentaram o quê no Eggs? O que acharam? Depois me contem! 🙂

E, como sempre, finalizo meu texto com:

Divirtam-se!

Eggs Comfort Food
Rua dos Pinheiros, 690
Facebook: http://bit.ly/FB_Eggs
Telefone: (11) 2548-8346

Segunda
12:00 às 15:30
Terça-Sáb:
12:00 às 23:00
Domingo:
12:00 às 17:00

 

Sal de ervas: fácil de fazer e muitos benefícios para a saúde

Segundo a OMS, a Organização Mundial da Saúde, os adultos devem consumir menos de 5 gramas de sal por dia – o equivalente a menos de uma colher de chá rasa –, mas os brasileiros estão muito acima dessa recomendação e consomem em torno de 12 gramas ao dia.

Uma dieta com grande quantidade de sódio pode causar problemas de saúde que muitas pessoas já escutaram ou já tiveram alguém da família com histórico: hipertensão, insuficiência renal e problemas cardiovasculares. Pensando nisso, médicos, nutricionistas e endocrinologistas têm sugerido que as pessoas não deixem o saleiro sempre à mesa e que façam substituições saudáveis, como a utilização do sal de ervas que, nada mais é, do que uma preparação que realça o sabor e o aroma dos pratos, ajudando a diminuir a quantidade de sal durante as refeições. Além disso, que tal deixar um pouco o sal de lado e sentir o sabor do alimento?

Segundo Ligia Santos, Coordenadora do Setor de Nutrição e Dietética na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o incentivo a uma dieta mais saudável, redução de alimentos industrializados, cujo teor de sódio é bem maior se comparado aos alimentos in natura, e o aumento no consumo de hortaliças e frutas, ajudam a diminuir o risco da hipertensão, que é um dos problemas de saúde pública no Brasil.

“É possível encontrar nas ervas os fitoquímicos, que é um dos principais grupos de antioxidantes. Além dele, os compostos fenólicos aparecem como os principais responsáveis pelas propriedades atribuídas às ervas aromáticas, que participam na prevenção de problemas cardiovasculares, estimula o sistema digestivo e potencializa o sistema imunitário”, acrescenta Lígia.

Algumas das ervas mais usadas são: o alecrim, manjericão, manjerona, orégano, cheiro verde e sálvia. É a partir delas que o sal de ervas é feito, acrescentando apenas uma pequena quantidade de sal. “A receita-base é uma parte de sal para três partes de ervas, ou seja, para cada 100 gramas de sal é preciso de 300 gramas de ervas”, complementa.

Sal_de_Ervas_site

Confira algumas sugestões de combinações:

Receita 1 – 1 pacote de alecrim, 1 pacote de manjericão, 1 pacote de manjerona, 1 pacote de orégano, 1 pacote de cheiro verde e 200g de sal comum.

Receita 2 – 1 xícara de chá de sal grosso, 1 xícara de chá de orégano, 1 xícara de chá de alecrim, 1 xícara de chá de sálvia.

Receita 3 – 25g de manjericão, 15g de orégano, 10g de salsinha, 100g de sal.

Fonte: Ligia Santos, Coordenadora do Setor de Nutrição e Dietética na Rede de Hospitais São Camilo de SãoPaulo.

Flores de maracujá para adoçar a primavera

flor-maracuja

Rendimento: 15 unidades

Ingredientes:
Creme de maracujá
1 xícara (chá) de água (200 ml)
1 xícara (chá) de açúcar granulado UNIÃO DOÇÚCAR (160 g)
3 colheres (sopa) de amido de milho (24 g)
1 xícara (chá) de suco de maracujá concentrado (200 ml)
6 gemas (120 g)
½ xícara (chá) de leite (100 ml)
1 colher (sobremesa) de manteiga (20 g)

Massa folhada
1 pacote de massa folhada laminada pronta (300 g)
Manteiga, para untar
Cortador de biscoitos no formato de flor (7,5 cm de diâmetro)

Montagem
Açúcar de confeiteiro UNIÃO GLAÇÚCAR

Preparo:
Creme
Em uma panela, adicione a água e o açúcar granulado UNIÃO DOÇÚCAR e misture os ingredientes. Leve em fogo médio até formar uma calda fina. Reserve até amornar. Adicione o leite e reserve. Em uma tigela, dissolva o amido de milho no suco de maracujá, junte as gemas e misture bem. Acrescente essa mistura à calda reservada e leve novamente ao fogo baixo, mexendo até engrossar. Retire do fogo, misture a manteiga e coloque em uma tigela, cobrindo com um plástico filme para não formar uma película. Deixe esfriar para rechear as flores de massa folhada.

Flor de maracujá passo a passo

Massa folhada
Desenrole a massa folheada sobre a bancada e, com o cortador, corte 15 flores. Coloque cada flor em uma forma para cupcakes e empurre-as cuidadosamente até encostar a massa no fundo. Arrume as pétalas cuidadosamente e fure cada um dos fundos das flores de massa com um garfo, duas vezes. Asse em forno preaquecido em 200°C por 5-7 minutos até dourar. Retire do forno e deixe esfriar.

Montagem
Coloque as flores em uma assadeira e, com uma peneira pequena, polvilhe o açúcar de confeiteiro UNIÃO GLAÇÚCAR. Com o auxílio de uma colher, recheie as flores com o creme de maracujá e sirva em seguida.

Sakagura A1 – Japa tradicional no Itaim Bibi

Parede-sakagura-a1

O Itaim Bibi é um bairro que pode ter algumas surpresas gastronômicas. Habitado por colarinhos brancos, muitos deles pagam caro por serviços e sabores ruins. Mas, procurando no Foursquare, lembrei de um japonês bem tradicional e recentemente premiado. Saiba mais da minha nova mania, o Sakagura A1.

Shin Koike, chef também do conhecido Aizomê, oferece qualidade, tradicionalismo num espaço modernoso e muito sofisticado. O ambiente do Sakagura A1 enche os olhos: bem japonês, com madeiras escuras tradicionais, ilustrações dos anos 20, mais um quê contemporâneo. Local ideal para um encontro romântico ou uma festa em família.

O restaurante passa por uma fase positiva, ao ter em seu staff o chef Celso Amano recentemente premiado. O brasileiro conquistou primeiro lugar no Mundial de Sushi em Tóquio, competição que avalia a técnica no estilo Edo. Amano competiu com 27 chefes do mundo e representa, fora do Japão, o melhor estilo tradicional de sushi! Omedetou!!

Sobre minha experiência, num dia frio, preferi conhecer os pratos quentes. Para começar, eu e minha companhia escolhemos a bolinha de polvo, Tako Dango. A entrada é saborosa, delicada e muito diferente de tudo que já comi. Esqueça o peso do bolinho da Liberdade, esse é delírio gastronômico!

polvo-sakagura-a1

Depois dela, fui de Tonkatsu, milanesa de porco que vem acompanhada de Gohan, o arroz japonês, e a sopa Missoshiro. Achei que seria algo excepcional estilo ou melhor que o Kidoairaku, que em minha opinião, tem a melhor milanesa junto a carne Wafu Steak, grelhado de mignon bovino acompanhado de um molho excepcional. Infelizmente, não consegui desvendar e copiar em casa.

tonkatsu-sakagura-a1

Já meu acompanhante optou por Tempura Soba  e para não perder a oportunidade, roubei um pouquinho do seu prato. O local é antro de tradicionalismo, e como era de se esperar um clássico bem elaborado. Macarrão delicado, caldo saboroso e elegante. Fusão de sabores perfeita! O mesmo pode se dizer do tempurá, bem executado, frito em óleo decente, o que deixa o aspecto mais bonito, sabor e crocância notáveis! A grama do vizinho definitivamente estava mais verde, e desejei muito ter pedido esse prato!

tempura-udon-sakaguraa1

Confira as fotos do cardápio, que também oferece petiscos de Izakaya:

Sendo assim, definitivamente agendarei o menu degustação de sushis, estilo Omakase. Enfatizo que esse menu deve ser agendado! E definitivamente volto aqui para contar essa aventura gastronômica!

Divirta-se!

Sakagura A1
Rua Jerônimo da Veiga, 74 – Itaim Bibi – São Paulo – SP

Horários: Segunda 12h – 15h e 18h30 – 22h / terça a quinta 12h – 15h e 18h30 – 23h30 / Sexta 12h – 15h e 18h30 – 00h / Sábado 12h30 – 16h e 18h30 – 00h / Domingo 12h30 – 22h

Obs.: Nos feriados funciona das 12h30 às 16h e 18h30 à 0h