Anjos da Madrugada: Aventura Surpreendente

Olá, pessoal! O post de hoje é para contar uma aventura gastronômica um pouco diferente. No último dia 11 para o 12 de outubro participei de uma ação dos Anjos da Madrugada! Fiz algo que queria há algum tempo: um voluntariado para distribuir aos moradores de rua marmitas e doações.

Todo mundo tem uma vida corrida, problemas e falta de tempo. Mas, andei me questionando há algum tempo de escolhas e onde poderia focar minha energia, de maneira positiva e produtiva. Por que não um voluntariado?

Em uma conversa com um amigo, ele me indicou o Anjos da Madrugada e me passou o contato da Diih. O projeto tem 1 ano e seis meses, atua mensalmente e conta com cerca de 70 pessoas. Topei na hora! Foi meio maluco pois estou super corrida e virada desde semana passada, além de uma gripe chatinha. Mas arrisquei mesmo assim. Tomei o telefone e entrei nessa. A gente sempre tem um tempinho sim 😉

Na segunda, dia 10, o pessoal estava com a mão na massa. Acompanhei pelo Facebook mas, infelizmente, não pude ajudar e acompanhar o processo. No total foram produzidos 340 marmitas com arroz, strogonoff, batata palha e feijão. Para sobremesa, 420 mousses de chocolate e para beber 240 sucos e 240 águas. Além dos saquinhos de doces para as crianças e doações de roupas, sapatos e brinquedos. Foi admirável ver a força e dedicação do pessoal!

14680500_1146530498746721_2584653175853076055_n

Olha o tamanho das panelas de strogonoff! Foto: Anjos da Madrugada

14707014_1146532232079881_2114290373683574975_o

Diih e as meninas super do bem! Foto: Anjos da Madrugada

14567581_1144975732235531_5684318966794610571_o

Mousses: capricho e riqueza de detalhes, muito carinho envolvido! Foto: Anjos da Madrugada

O Anjos da Madrugada atua na própria casa da Diih e, com muita hospitalidade, me recebeu de braços abertos. Fui totalmente acolhida e fiquei muito contente pela empatia da turma. Muitas pessoas de diversas classes, credos mas com apenas um objetivo: fazer o bem!

Minha primeira surpresa foi ver a generosidade da Diih em oferecer seu espaço para receber uma desconhecida. Fiquei impressionada com a quantidade da produção para alguns braços. A mulherada estava com força total, e mais surpreendida ainda quando um caminhão chegou para nos ajudar no carregamento.

Partimos do Taboão da Serra por volta das 22h e a ação focou de início na Praça da Sé. Estacionamos todos próximos da Universidade São Francisco – Direito USP, no centro de São Paulo, e seguimos todos juntos, com a facilidade de nos identificarmos pela camiseta branca e logotipo do projeto.

Passamos pelo escadão da Catedral da Sé e depois no Pátio do Colégio, nos mantivermos juntos em todo o percurso e nos segmentamos por algumas turmas, uns com sacolas de roupas, devidamente separadas por tipo: masculinas, femininas, infantil masculino e feminino. Brinquedos em outros pacotes, bebidas, marmitas, doces, e assim por diante.

Como funciona a distribuição e abordagem aos moradores de rua

Muitos moradores nos abordam, portanto, esqueça as filas. Você pode até oferecer, dê o que te pedem, respeite se disserem não e caso não tenha, indique e pergunte ao amigo.

Pátio do Colégio. Foto: Anjos da Madrugada

Concentração no Pátio do Colégio. Foto: Anjos da Madrugada

Veja algumas dicas ao abordar alguém na rua:

  • Jamais demonstre medo, somos todos iguais (sei que isso parece banal, mas já vi nossa bolha social fazendo isso, o que é segregação! Uma coisa é uma pessoa ter ataque de esquizofrenia ao seu lado, outra é o morador de rua estar na dele);
  • A palavra “mendigo” ou “viciado” são pejorativas, ok? Sensibilidade, por favor;
  • Quando distribuir algo em locais de muita concentração de moradores, mantenha-se em grupo, especialmente neste caso: de madrugada;
  • Nunca negue neste tipo de ação quantidade: dê a eles o que pedem. Não se deve dizer não, pois não sabemos como podem reagir. Se não tiver, sem problemas, indique o colega. Seja gentil, peça desculpas por não ter e peça para procurar em outra sacola;
  • E sempre, o mais importante de tudo, trate a pessoa pelo nome. Pergunte, converse, fale do dia a dia dele. O foco é o morador. A experiência é muito enriquecedora! E às vezes, a carência é apenas companhia, afinal somos seres humanos e seres sociais;
  • Muitas crianças podem grudar em você e serem insistentes. Tive isso com um menininho que queria tudo de minha sacola. Fale com ele que já pegou o suficiente, e mostre a ele que pegou o que já desejava. Fale que ele vai dividir com os amiguinhos.

Existe uma fala muito comum: vou levar para alguém. Também não se deve negar. Já a criançada, replica sem pensar. Achei muito engraçadinho um menino de 5 anos dizer que o filho dele precisava de roupinhas. Pondere para crianças, afinal, para quem não tem nada, a fartura de uma sacola inteira impressiona. Tenha empatia e bom senso. 🙂

Mas, é perigoso? Tenho medo!

Vá de coração e mente aberta. Para quem nunca foi, posso afirmar que é uma das melhores satisfações que você pode ter em vida. Eu, particularmente, penso: vim ao mundo com algum propósito e não estou de passagem. Me sinto feliz, e minha sensação de “roubo muito ar do mundo” passa por alguns instantes.

14711149_1146546502078454_6203398359391344464_o

Ver crianças tendo alguns momentos de alegria: gratificante! Foto: Anjos da Madrugada

Garanto que será ótimo para sair da nossa bolha social, encarar a realidade, ter mais empatia e gratidão pelos privilégios que temos. E posso garantir, pessoas com menos privilégios que eu, fazem muito mais por aí. É uma lição de vida, definitivamente.

A união faz a força, e tendo organização e foco no objetivo, não dá medo não. Deixamos nossos pertences nos carros bem guardados e escondidos, caso seja sua dúvida. Levei o celular para fazer ao vivo no Facebook do Aventuras Gastronômicas e não tive problema algum. Só ficar ligeiro como já ficamos todos os dias! 😉

Conclusões

Estamos acostumados a reclamar de nossa vida pessoal. Mas, será que podemos por algum tempo olhar ao nosso redor? Pausar, refletir e perceber as nossas regalias, por exemplo, poder comer fora, ler, ler este blog, entre tantos outros!

Ninguém sabe a história dessas pessoas e o porquê estão nessas condições sociais. Falar e achar que essas pessoas são acomodadas é muito raso, compreendem? Tudo tem um porquê, tudo tem sua exceção. Muitas vezes, não há saída ou escolha, é aquilo e ponto. Especialmente crianças, imagine como é crescer num meio sem estrutura alguma? Já se colocou no lugar?

Poderia escrever mais, mas resumidamente é essa a conclusão. Vamos ajudar! 😀

Contato Anjos da Madrugada

Facebook: http://www.facebook.com/anjosmadrugada.sp
Instagram: @anjos_madrugada  www.instagram.com/anjos_madrugada/
WhatsApp: (11) 95902 – 8922
Concentração: Taboão da Serra/SP
Ações em São Paulo/ SP

 

1 Comentário

  1. Nubia
    outubro 15, 2016 at 10:42 am (2 anos ago)

    Tive o previlegio de participar
    Nesse dia das crianças pela primeira vez
    E me arrependo de nao ter participado antes pois eu sempre quis participar de projetos sociais como voluntaria e a irmã carme me apresentou esse projeto e lá eu me encontrei conheci a Diih uma pessoa maravilhosa que Deus usou para criar esse projeto que por sinal eh lindo gratificante .Quando agente estavamos indo embora veio um casal nos perguntar quando iriamos voltar lá .ou seja ja estavam anciosos para a nossa volta . amei participar e e eemquano existir esse projeto eu estarei junto a eles tamo juntos anjos da madrugada..????????????????

Deixe um comentário