Prêmio Prazeres da Mesa/Tramontina 2012

Na noite do dia 11 de junho, última segunda-feira, aconteceu o anúncio dos vencedores do Prêmio Melhores do Ano Prazeres da Mesa/Tramontina 2012, que marcou o nono aniversário da revista. Na primeira fase, um júri especializado indicou os candidatos de cada categoria, fazendo com que os mais
votados seguissem para a segunda fase. Nesta etapa, os leitores puderam votar por meio do site oficial da Prazeres da Mesa e escolher os premiados. Abaixo, nós listamos os contemplados e os concorrentes, com algumas observações. Para mais informações, basta comprar a edição de junho.

Chef do Ano:
Helena Rizzo e Daniel Redondo (Maní, São Paulo, SP)
José Barattino (Emiliano, São Paulo, SP)
Roberta Sudbrack (Roberta Sudbrack, Rio de Janeiro, RJ)

Rodrigo Oliveira (Mocotó, São Paulo, SP)
Thiago Castanho (Remanso do Peixe, Belém, PA)
– Diante da eleição dos restaurantes D.O.M, Maní e Roberta Sudbrack entre os 100 melhores do mundo, era de se esperar que ou o casal Helena Rizzo e Daniel Redondo ou a chef Roberta Sudbrack levassem a melhor nessa categoria. A eleição de Rodrigo Oliveira foi uma grata surpresa. Ainda bem que sua imaginação é fértil e que novidades, frutos do Mocotó, estão por vir.

Restaurante do Ano:
Aquavit (Brasília, DF)
CT Boucherie (Rio de Janeiro, RJ)
Epice (São Paulo, SP)

Maní (São Paulo, SP)
Remanso do Bosque (Belém, PA)
– Eleito o 51º melhor do mundo, a premiação do Maní nesta categoria era mais do que esperada. Outro forte concorrente era o Epice, restaurante do incrível chef Alberto Landgraf, que tem arrebatado admiradores e conseguido reconhecimento nacional.

Bar do Ano:
Bar da Dona Onça (São Paulo, SP)
Baretto-Londra (Rio de Janeiro, RJ)
Número (São Paulo, SP)
Venga! (São Paulo, SP)
Veríssimo (São Paulo, SP)

– Na primeira vez que fui ao Bar da chef Janaina Rueda, não tive uma boa impressão (post aqui). Voltei uma segunda vez e fiquei mais animada. Mas a culinária da Dona Onça me conquistou mesmo foi fora do Bar, quando experimentei o menu feito por ela no restaurante Na Cozinha, de seu amigo Carlos Ribeiro, e também durante o evento Chefs na Rua. Preciso voltar uma terceira vez ao Bar agora eleito o melhor de São Paulo pela Prazeres da Mesa.

Chef revelação:
Alberto Landgraf (Epice, São Paulo, SP)
Bárbara Verzola e Pablo Pavón (Soeta, Vitória, ES)
Manoella Buffara (Manu, Curitiba, PR)
Viviane Gonçalves (chef Vivi, São Paulo, SP)

Wanderson Medeiros (Picuí, Maceió, AL)
– Infelizmente nunca provei sua culinária, mas de acordo com o site da Prazeres: “Há mais de dez anos, Wanderson Medeiros assumiu o comando do Picuí, o restaurante que, hoje – com mais de duas décadas de história –, é uma das maiores referências na culinária regional alagoana“. Fiquei curiosa 🙂

Restaurante de cozinha brasileira:
Brasil a Gosto (São Paulo, SP)
Dalva e Dito (São Paulo, SP)
Gosto com Gosto (Visconde de Mauá, Rio de Janeiro, RJ)

Mocotó (São Paulo, SP)
Tordesilhas (São Paulo, SP)
– Todos os concorrentes representam muito bem a culinária brazuca – só acrescentaria o restaurante Na Cozinha à lista. Mas, diante do prêmio de melhor chef para Rodrigo Oliveira, nada mais justo que o Mocotó ganhar na categoria restaurante brasileiro. Segundo o site da Prazeres da Mesa: “O pupilo do chef Laurent Suaudeau mostra a que veio, servindo comida de primeira, com grande atenção às técnicas e aos ingredientes da rica culinária brasileira”.

Melhor doce:
Bomba de chocolate (La Bombe, São Paulo)
Mil Folhas (Douce France, São Paulo, SP)
Sonho de creme (Dulca, São Paulo, SP)
Torta de nozes pecã (Doces Laura, São Paulo, SP)
Torta Provence (St. Honoré, São Paulo,SP)

– Vou correndo experimentar assim que possível, mas confesso que estava torcendo para o La Bombe. O Douce France fica na Alameda Jaú, 554, nos Jardins, mas existe uma filial no Morumbi Shopping (SP). O chef Fabrice Le Nud também ministra aulas.

Barista do ano:
Carolina Franco de Souza (Lucca Cafés Especiais, Curitiba, PR)
Cecília Sanada (Octavio Café, São Paulo, SP)
Isabela Raposeiras (Coffee Lab, São Paulo, SP)
– Três mulheres representavam a profissão, que vem ganhando cada vez mais reconhecimento, nesta categoria, vencida pela barista do Octavio Café. Minha torcida era por Isabela Raposeiras, pois acho o conceito do Coffee Lab absolutamente incrível.

Melhor serviço de cervejas:
Botica do Quintana (São Paulo, SP)
Cervejaria Nacional (São Paulo, SP)

Frangó (São Paulo, SP)
Melograno (São Paulo, SP)
Nosso Bar (Campinas, SP)

– Ninguém discute a qualidade do Frangó, que tem um dos maiores acervos de cerveja da cidade e é comandado pelo especialista Cássio Piccolo. Mas minha torcida era da Cervejaria Nacional, pois acho muito bacana a proposta de ter uma microcervejaria que ofereça aos clientes seu próprio produto. E é tudo uma delícia.

Melhor pizzaria:
Bráz (São Paulo, SP)

Capricciosa (Rio de Janeiro, RJ)
Maremonti (São Paulo, SP)
Speranza (São Paulo, SP)
Valentina (Brasília, DF)

– Apesar de gostar bastante da pizza da Bráz, não acho que seja a melhor. Vale para premiar uma rede que faz pizzas de qualidade, no Rio e em São Paulo, e que acabou de sofrer um arrastão na unidade Higienópolis (SP).

Seguem mais premiados – juro que não entendi o vencedor do melhor hambúrguer:

Chef pâtissier:
Arnor Porto (Emiliano, São Paulo, SP)

Diego Lozano (Consultor, São Paulo, SP)
Flavio Federico (Flavio Federico Dolci, São Paulo, SP)
Lucas Corazza (Bar.bar, São Paulo, SP)
Paulo König (Le Vin, São Paulo, SP)

Barman:
Alexandre D’Agostino (Spot, São Paulo, SP)
Andre Paixão (Baretto-Londra, Rio de Janeiro, RJ)
Kascão Oliveira (Anexo SB – Boteco São Bento, São Paulo, SP)
Marcelo Serrano (MynyBar, São Paulo, SP
)
Souza (Veloso, São Paulo, SP)

Artesão da gastronomia:
Calusne Farms (Campinas, São Paulo, SP)
Dom Spinosa (Assis, SP)
Família Orgânica (Campinas, SP)

Queijo da Canastra do Zé Mário (São Roque de Minas, MG)
Tanea Romão (Gonçalves, MG)

Brigada de ouro:
D.O.M. (São Paulo, SP)

Fasano (São Paulo, SP)
Le Pré Catalan (Rio de Janeiro, RJ)
Parigi (São Paulo, SP)
Roberta Sudbrack (Rio de Janeiro, RJ)

Melhor hamburgueria:
210 Dinner (São Paulo, SP)
Ritz (São Paulo, SP)
RoyalBurguer (São Paulo, SP)
St. Louis (São Paulo, SP)

The Fifties (São Paulo, SP)

Banqueteiro:
Andrea Fasano (São Paulo, SP)

Fred Frank (São Paulo, SP)
Jane Suassuna (Recife, PE)
Nina Horta (São Paulo, SP)
Viko Tangoda (São Paulo, SP)

Responsabilidade social na gastronomia:
Chefs Especiais – Down Cooking (São Paulo)

Personalidade da gastronomia:
Alex Atala (D.O.M., São Paulo)

2 Comentários

  1. Miyu
    junho 14, 2012 at 9:12 pm (9 anos ago)

    Ninguém entendeu o da melhor hamburgueria, haha.

  2. Melina Souza
    junho 17, 2012 at 12:23 am (9 anos ago)

    Isabelle,
    Essa do hambúrguer realmente foi patético.
    Mas dá pra entender sim o porque do vencedor quando lembrarmos de uma palavra: JABÁ.
    Não tem outra coisa que explique isso.
    Abraços

Deixe um comentário