Não obrigada, eu não como carne

Meu nome é Milly, muito prazer! Tenho 29 anos, adoro artesanato e decoração, mas por conta do destino trabalho com comunicação. Sou maluca por feijoada, mas outro lance do destino me levou a questionar minha alimentação – agora só feijoada vegetariana.

feijoada

Não sei como vocês leitores encararam a informação do título, mas meus amigos e familiares variaram entre os pensamentos e dizeres dramatizados abaixo:

1 – “Ai meu Deus! Você vai ficar doente!”
2 -“E agora? O que eu vou cozinhar quando você for me visitar?”
3 – “Vish Agora ela virou hippie de vez!”
4 – “Nossa! Que bizarro! Pra que? Carne é tão bom!”
5 – “Credo! Nunca mais vai comer feijoada e churrasco?!”
Vou me ater ao top five acima, mas até hoje acontecem situações embaraçosas que sempre tento levar na esportiva. As piadas são sempre as melhores saídas.

Cada um tem um estalo que faz refletir sobre o que come. O meu foi há mais de um ano com um manifesto de ativistas espanhóis em defesa dos direitos animais. Naquele momento, com aquelas fotos, me coloquei no lugar dos animais e deste dia em diante não comi mais carne.

Entre os vegetarianos e veganos as motivações variam. Para mim, além da causa animal a causa ecológica importa. No Brasil mata-se 1 boi, 1 porco e 179 frangos por segundo (sim eu escrevi certo: segundos). Estes dados são do IBGE e neste levantamento não estão inclusos todos os peixes, perus, cabras, ovelhas, coelhos, patos e outras espécies, e claro, sem contar os abates clandestinos que, segundo estimativas, chega a 30% desse número (cerca de 400 milhões). Os animais sofrem dor e medo – animais com um ano de vida são mais capazes de pensamento lógico do que bebês humanos de 6 semanas – e eles passam as últimas horas de sua vida trancados em um caminhão, encerrados com centenas de outros animais, igualmente apavorados, e depois são empurrados para um corredor da morte.

Do ponto de vista humanitário, a cada 6 segundos alguém morre de fome e enquanto isso, todos os anos, 400 toneladas de grãos alimentam animais de corte. 100 acres de terra produz carne suficiente para 20 pessoas e grãos suficientes para alimentar 240 pessoas. E ao contrário do que muitos acreditam as florestas tropicais não estão sendo desmatadas para se plantar soja para vegetarianos, mas sim soja para as rações dos animais. E além de tudo isso, os produtores de carne são os maiores poluidores das águas.

veg

Não me considero uma militante da causa e nem fico tentando convencer amigos e familiares de nada. Mas quando penso que um bife carrega tudo isso que citei mudei minha forma de viver. Meu aprendizado está acontecendo aos poucos e me auto-intitulo uma lacto-vegetariana que faz dias veganos. Algo como Segunda sem carne versão vegana. Para alguns isso é legal, para outros isso é insuficiente, para outros ainda eu sou uma tonta que não faz diferença, mas para mim o que faço está de acordo com minha consciência e assim toco minha vida e meu aprendizado disposta a ajudar os animais e humanos que me pedem ajuda nutricional. Mas, minha maior vitória até hoje é saber que meu noivo e minha mãe tornaram-se ovolacto-vegetarianos, não por eu tê-los convencido disso, mas por conviverem comigo e verem que era possível apesar de todos os alertas de faltas de vitaminas.

Para os que se preocupam com a vitamina B12, assunto bastante discutido no meio, é bom dizer que cerca de 40% dos onívoros apresenta deficiência dessa vitamina, o que nos coloca todos no mesmo barco. E quanto as demais necessidades, todos precisamos de uma avaliação nutricional e acompanhamento de um especialista para se alimentar corretamente, seja por falta de conhecimento ou por levar uma vida corrida que nos impede de comer três frutas por dia, não é mesmo?

Para quem tem interesse no assunto eu sempre indico acompanhar os portais Vista-se e SVB (Sociedade Vegetariana Brasileira) que sempre tem e-books, receitas, notícias e é possível se associar para ter descontos e ajudá-los nas campanhas. E o livro Virei Vegetariano. E agora?, que além de dicas nutricionais, narra situações e como sair delas (quem é vegetariano sabe do que estou falando) e até uma carta para seu nutricionista (caso ele não seja assim tão simpático à causa). Também existe um projeto muito bacana chamado Anjo Vegano, inspirado em outros de mentoria, encontra um voluntário vegano para auxiliar o interessado nesta transição.

Atualmente, fontes de informação não faltam e até tem se multiplicado nos últimos meses. Uma prova disso é que a Folha inaugurou o blog Veg no dia 01/07 deste ano. Mas tenha cuidado ao acreditar em tudo que lê por aí, pesquise em mais de uma fonte e queira ver as pesquisas. A SVB tem se dedicado a combater bobagens que aparecem na mídia – por exemplo a nutricionista do comercial da Friboi que dizia que carne é essencial e não é.

E em meio a novos estabelecimentos, antigos que tem novas opções veggies, eventos e grupos e campanhas cá estou eu disposta a conhecer tudo e compartilhar com os interessados esta jornada.

PS: Sei que todos aqui gostam de comer então prometo que os próximos posts serão mais legais e gostosos, prometo!

3 Comentários

  1. Natália
    agosto 17, 2014 at 9:56 pm (4 anos ago)

    Legal, não sou vegetariana, mas raramente como carne e produtos animais. Dá quase para dizer que sou uma vegetariana que às vezes “derrapa”. Só não me intitulo assim por não ter conseguido banir totalmente os produtos de origem animal do meu cardápio (amo hambúrguer e churrasco, por exemplo. infelizmente…) Mas, independente de ter virado vegetariana ou não, sempre me interessei pela culinária vegetariana e vegana e gosto de testar pratos assim em casa. Ansiosa pelos seus próximos posts.

  2. Milly Furquim
    agosto 19, 2014 at 12:43 pm (4 anos ago)

    Olá Natália!
    Fiquei muito feliz com seu comentário!
    Ontem fiz um novo post sobre cursos. Já que disse que gosta de testar novos pratos, confesso que assisti a primeira parte do do EduK e tem muitas receitas bacanas. Se tiver um tempinho vale assistir hoje (que tem a segunda parte). No mais, por favor me mande críticas e sugestões sempre! Estou achando uma delícia dividir um pouco das minhas experiências e quero saber tb das de vcs. =)

  3. Alexandre Vieira
    agosto 20, 2014 at 1:31 pm (4 anos ago)

    Olá Milly, parabéns!!!
    Concordo com tudo escrito por vc… Somente quem já teve o “estalo” como nós, não é mesmo?
    Seu “estalo” por mim chamado de “consciencia” em relação aos animais, aconteceu comigo há exatos 40 anos atras, na manhã do dia de aniversário de 17 anos. Exatamente como vc, no caso de minha esposa que tambem adotou e já fazem 20 anos.
    Se vc alem de vegetariana tambem é amante da natureza, conheça nosso espaço na Região dos Lagos – RJ: “The Pond Inn” no Face.

Deixe um comentário