SPRW: Tordesilhas

(*) por Célia Regina Bocci da Silva – comentarista convidada

O que nos faz escolher este ou aquele restaurante? E o que nos faz voltar e levar pessoas queridas a um determinado restaurante? São vários os fatores, mas há dois que sempre me chamam a atenção: bom atendimento e a qualidade dos pratos. Isso nos fez escolher o Tordesilhas, da Chef Mara Salles. Tinha comemorado meu aniversário lá com os amigos do hospital, mas naquele dia o namorado estava de plantão e não pode ir. Como eu e meus amigos gostamos do que nos foi servido e do atendimento, incluímos ele para o nosso roteiro nesta nona etapa da SPRW.

Reserva feita antecipadamente sempre garante ser atendido logo na chegada. E não foi diferente ali. Logo que chegamos fomos levados à nossa mesa e prontamente atendidos pelos garçons. A casa foi ficando cheia pouco a pouco, mas o atendimento teve sua qualidade mantida durante todo o tempo em que estivemos lá. Não sei se por conta da nova lei do couvert (que entra em vigor à partir de outubro), nada foi oferecido, nem na nossa mesa nem nas que estavam próximas. Havia apenas  os potinhos com pimentas para acrescentarmos aos pratos.


Habituados que estamos ao trivial, ou a massas e carnes, fomos surpreendidos com a habilidade na combinação dos sabores e ingredientes da culinária brasileira.  As palavras que mais usamos foram “diferente” e “muito bom”. Como entrada, escolhi a salada de folhas miúdas, lascas de pupunha e supreme de laranja ao molho de taperebá, uma salada bem temperada e correta. Namorado escolheu o bolinho de pernil grelhado com marinada de mini legumes, e aqui veio o primeiro ponto positivo, pois ele comparou o bolinho com o que a avó dele fazia, e disse que estava praticamente igual. Sabores de infância voltando a memória são sempre um bom sinal.

A minha escolha para o prato principal foi o Pirarucu ao molho de hortaliças com purê de banana-da-terra. O namorado foi de Carne-de-sol assada em manteiga-de-garrafa com alho-poró e risoto de abóbora. Os sabores se completaram em ambos os pratos, com a carne suavizada pelo risoto, sem perder sua característica. E o purê de banana da terra estava bom demais, com consistência perfeita, e harmonizava com o peixe, mas de modo que você podia sentir o sabor dos dois sem se perder.



E a sobremesa não deixou a desejar. Duas novas combinações nos supreenderam: a primeira foi a compota de maracujá, crème anglaise de pequi e suspiros ao chocolate. A segunda, o Pudim de tapioca com baba-de-moça. Não eram doces em excesso, e deixaram o gostinho de quero mais. Os garçons foram atenciosos, os pratos foram trazidos sem correria e sem pressão. A conta foi trazida assim que pedimos. O único senão fica por conta da cobrança da contribuição para a Associação Monte Azul na conta, e não em separado. E também não houve a divulgação da contribuiçao com a nota sem CPF para o Instituto Ayrton Senna.



Dentre os pratos que fazem parte da SPRW, apenas o pudim de tapioca com baba de moça faz parte do cardápio regular, que tem muitos pratos que chamam bastante a atencão, como . E o namorado deu mais um bom sinal: “esse é um lugar pra voltar!” E assim retornamos a pergunta do início: porque voltaremos? Porque fomos bem atendidos, porque fomos pegos pelo estômago pelos ótimos pratos, e porque saímos felizes de lá.

Tordesilhas
Rua Bela Cintra , 465 – Cerqueira César – São Paulo
Tel: (11) 3107-7444

2 Comentários

  1. João Gabriel Margutti Amstalden
    setembro 9, 2011 at 2:17 pm (11 anos ago)

    Tenho muita vontade de conhecer o trabalho da Mara, experimentar sabores nacionais trabalhados à perfeição é comigo mesmo. Vou ver se ainda consigo uma vaguinha.

  2. erica cristina
    setembro 9, 2011 at 3:22 pm (11 anos ago)

    Meus deus, quantos restaurantes vocês estão indo?????? Parabéns!!!

Deixe um comentário